isfic apoia nos ciclones.jpg

ISFIC na filantropia da solidariedade

Quando somos solidários, os primeiros beneficiários somos nós. E quando nos mobilizamos pelo outro, algo nos dignifica. Só a solidariedade resgata a grandeza e a dignidade. Há na sociedade pessoas altruistas, que mobilizam apoios para quem deles necessite. Muitos esforços têm sido feitos pelo Governo para minorar os efeitos calamitosos do Idai e Keneth mobilizando mundo e fundos, mas o processo não tem resultados imediatos, pelo que o ISFIC mantendo esta chama acesa foi ajudando quem vive em condições precárias. Foram entregues donativos constituídos de roupa, material escolar e outros bens para dar o salto da pobreza extrema para a dignidade e o conforto.

Investigador Maússe defende biotecnologia reprodutiva na pecuária

Uma palestra subordinada ao tema Contribuição da biotecnologia reprodutiva no desenvolvimento inclusivo rumo a industrialização do sector pecuário foi proferida no ISFIC, pelo Professor Doutor Francisco Maússe, docente na Universidade da Namíbia que vê neste tema uma opção para o desenvolvimento do século. Segundo Maússe, assunto abrange todos os Estados da Zona Subsahariana por se enquadrar na Agenda 2063 da União Africana, cujas prioridades e objectivos se fixma no imperativo do conhecimento para a conservação da raçao por forma a evitar a extinção dessa espécie. Francisco Maússe é um moçambicano doutorado na ex-URSS em ciências animais. Actualmente é coordenador de programas de biotecnologia na Namibia.

investigador mausse.jpg
Upload
palestras isfic.jpg

Ciclo de palestras motivacionais no ISFIC

O ISFIC realizou de 12 a 16 de Março de 2017, o primeiro ciclo de palestras motivacionais destinadas à comunidade académica simbolizando a passagem de mais um aniversário desta agremiação do ensino superior. Dirigidas po entidadess capacidadas, estes elaboraram sobre a importância da Matemática para a economia, a relevância da ética no processo de ensino aprendizagem. Foram proferidas temas sobre o mundo do crime cibernético, os recursos naturais, a importância das demonstrações financeiras no acesso ao financiamento, e a influência da cultura na aprendizagem da administração pública, e o ranking das dívidas soberanas e sua influência nas taxas de juros.

SOFELP consagra educação, braço da humanidade

O ISFIC acolheu o VI colóquio Internacional da Sociedade de Filosofia de Língua Portuguesa (SOFELP) nos dias 15 e 16 de Junho de 2017, subordinado ao tema: filosofia da educação hoje. O momento serviu para reafirmar o facto que a educação constitui um dos maioires desafios que se colocam às nações quando buscam no desenvolvimento, o bem-estar sustentado das suas populações. Sabe-se que é uma realidade inquestionável que a produção de riqueza, a luta contra a pobreza, o acesso a informação, a participação cívica, a tolerância, são atravessadas necesariamente pela educação para que sejam consequentes e coerentes. Parafraseando Comenius, considerado fundador da didática moderna, este dizia que as escolas são oficinas da humanidade, contribuindo para que os homens adquiram as virtudes que os tornam verdadeiramente homens.

logosofelp.jpg
assinatura.jpg

ISFIC e Kimpavita assinam acordo de investigação e mobilidade

O Instituto Superior de Formação, Investigação e Ciências (ISFIC) e a Universidade Regional Kimpavita de Angola assinaram um memorando de entendimento no âmbito do plano estratégico do Ministério da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Professional (MISCTEP) em vigor, que prevê a internacionalização das instituições de ensino superior nacional, mobilidade de docentes e discentes, bem como a facilitação na investigação e extensão. Para a Administradora Geral do Instituto Superior de Formação, Investigação e Ciência, Arminda Janfar, o acordo celebrado entre as duas entidades vai permitir que haja mobilidade entre docentes e discentes, internacionalização da instituição, bem como permitir a investigação e extensão entre as duas instituições O Professor Doutor João da Silva, Reitor da Universidade KimpaVita, considera o acordo como uma preocupação e vontade de crescimento conjuntos, bem como símbolo de originalidade de uma ousadia multidisciplinar e dimensional, cuja nobreza reside na estratégia de juntar esforços para melhorar a rentabilização dos recursos físicos e de capital humano, assim como melhorar a dinamização dos processos académicos e administrativos das duas instituições. “Todos sabemos que vivemos num contexto de forte globalização do ensino superior, em que precisamos de ganhos de dimensão e qualidade que se projectem em visibilidade internacional, condição necessária para a atracção de talentos, para mobilidade dos recursos humanos, para a cooperação científica transfronteiriça para a integração em redes transnacionais de conhecimento e para a captação de financiamento internacional” disse, sublinhando que este é o caminho necessário para o futuro, incarnado na antecipação ao futuro e ousadia na mudança. Este acordo representará um modelo que vai inspirar outros acordos de dimensão regional no mundo académico” - concluiu.